Contratar uma Agência de Marketing ou Montar um Time de Marketing Interno? Considerações Práticas e Teóricas Sobre o Tema

RESUMO: A decisão entre criar uma equipe de marketing interna ou terceirizar para uma agência é uma escolha crítica para as empresas, baseada em suas necessidades, recursos e objetivos de longo prazo. A equipe interna oferece maior controle e uma compreensão profunda da marca, promovendo uma comunidade forte e foco exclusivo nos objetivos da empresa. No entanto, vem com desafios como recrutamento, treinamento e questões de escalabilidade. Em contraste, a terceirização proporciona acesso imediato a especialistas e flexibilidade para lidar com a carga de trabalho variável, mantendo-se atualizado com as tendências do setor, embora possa faltar um entendimento profundo da marca e um controle total sobre as campanhas. Ao decidir, é essencial considerar os pontos de dor no marketing atual, o orçamento disponível, a acessibilidade a profissionais qualificados ou agências adequadas, e as projeções de crescimento da empresa, avaliando qual opção se alinha melhor com as necessidades e metas de longo prazo da organização.

 

No cenário em constante evolução do marketing, uma questão crucial que os tomadores de decisão enfrentam é se devem construir uma equipe interna de marketing ou terceirizar para uma agência.

Ambas as opções apresentam méritos e desafios únicos, com a decisão final ancorada nas necessidades específicas, recursos e objetivos de longo prazo da empresa. O presente artigo, aprofunda essa problemática, trazendo à luz as vantagens e desvantagens de cada escolha.

A relevância desta análise reside na imperativa necessidade das empresas em compreender melhor como estruturar suas operações de marketing. Com o campo do marketing tornando-se cada vez mais especializado, a escolha entre formar uma equipe interna ou terceirizar torna-se cada vez mais crítica.

O objetivo central do artigo é examinar as variáveis que influenciam a decisão de insourcing ou outsourcing do marketing, incluindo: pontos problemáticos atuais nos esforços de marketing, poder de compra para contratar uma equipe em tempo integral ou serviços profissionais de agência, disponibilidade adequada de talentos e projeções de crescimento da empresa.

Fundamentando-se em teorias existentes sobre estrutura organizacional, gestão estratégica e marketing, o artigo discute os prós e contras do insourcing e outsourcing.

A discussão incorpora os conceitos de:

a) controle operacional;

b) comunidade dentro da equipe;

c) escalabilidade das operações e;

d) conhecimento da marca.

A análise foca nas quatro considerações-chave mencionadas e discute como elas podem influenciar a decisão de uma empresa de criar uma equipe interna ou contratar uma agência.

Cada fator é explorado em detalhes, com exemplos relevantes para ilustrar os pontos discutidos.

Na seção de discussão, é enfatizado como as empresas podem avaliar suas circunstâncias individuais e tomar uma decisão informada que melhor atenda aos seus objetivos de longo prazo.

As possíveis implicações de cada opção são discutidas, permitindo que os tomadores de decisão compreendam completamente as consequências de suas escolhas.

Este aprofundamento visa auxiliar as organizações a avaliarem suas operações de marketing atuais e a tomarem decisões informadas que alinhem com seus objetivos estratégicos de longo prazo, proporcionando uma base sólida para futuras estratégias de marketing bem-sucedidas.

A escolha entre internalizar ou terceirizar as operações de marketing é complexa e envolve elementos diversos, demandando uma análise cuidadosa das circunstâncias individuais de uma empresa.

A titulo metodológico, esse artigo se valeu de uma abordagem qualitativa, se baseando em periódicos acadêmicos, artigos de blogs e revistas especializados e conhecimento empírito sobretudo.

Cresweel (2003) sugere que uma metodologia qualitativa é apropriada quando o objetivo é explorar um fenômeno em profundidade, entender as perspectivas dos envolvidos e desenvolver uma compreensão rica e contextualizada.

pontos-negativos-de-criar-um-time-interno

 

A Arte de criar equipes: Prós e Contras do Time de Marketing interno

A teoria da estrutura organizacional propõe que a constituição de uma equipe interna pode ampliar o controle sobre as iniciativas de marketing, visto que facilita a seleção criteriosa de indivíduos que compreendem a marca, a missão e os valores da empresa (Mintzberg, 1980).

Adicionalmente, uma equipe interna pode direcionar sua atenção exclusivamente aos objetivos da empresa, adaptando estratégias prontamente com base em dados e feedbacks em tempo real.

Conforme Robbins e Coulter (2007), essa internalizar um time de marketing interno também pode fomentar um forte senso de comunidade dentro da equipe.

A formação de uma equipe interna pode apresentar desafios consideráveis.

O processo é oneroso em termos de tempo e envolve atividades como:

i. recrutamento;

ii. treinamento e;

iii. gestão de salários e benefícios.

Segundo Sullivan (2010) existem também riscos atrelados à escalabilidade durante períodos de intensificação ou retração nos negócios.

será-que-vale-a-pena-contratar-agencia

Contratar uma agência de marketing: Prós e Contras da Agência de Marketing

Optar pela terceirização do marketing para uma agência traz consigo uma série de benefícios e desafios. Um dos principais atrativos é o custo-benefício. Ao contratar uma agência, você tem acesso a uma equipe de especialistas em diversas áreas do marketing, sem a necessidade de arcar com os custos de contratação, treinamento e manutenção de uma equipe interna.

As agências de marketing estão sempre atualizadas com as últimas tendências e técnicas, o que pode ser um grande diferencial para a sua estratégia. Elas também possuem uma visão externa do seu negócio, o que pode trazer novas perspectivas e ideias.

No entanto, a terceirização também apresenta seus desafios.

Um deles é a distância da realidade da marca. A agência pode não estar tão imersa na cultura e nos valores da empresa, o que pode levar a estratégias que não estão totalmente alinhadas com a identidade da marca.

Outro ponto a considerar é a possibilidade de contratar muitos funcionários de uma só vez.

Embora isso possa parecer atraente, é importante lembrar que a gestão de uma grande equipe pode ser complexa e exigir um investimento significativo de tempo e orçamento.

Portanto, ao ponderar entre a construção de um time de marketing in-house e a terceirização para uma agência, é essencial considerar os prós e contras de cada opção e avaliar qual se encaixa melhor nas necessidades e objetivos da sua empresa.

 

Identificamos alguns temas centrais que emergiram como críticos na tomada de decisões.

1. Controle, Gestão e Comunidade

Um tema recorrente entre as empresas que optaram por uma equipe interna foi o desejo de maior controle sobre os esforços de marketing.

As equipes internas são imersas na cultura da empresa, entendem a marca em um nível mais profundo e podem se ajustar rapidamente às mudanças.

Já a formação de uma comunidade forte foi vista como um benefício significativo da equipe interna, criando sinergia e colaboração.

 

2. Expertise e Flexibilidade

Por outro lado, as empresas que optaram por terceirizar destacaram o acesso instantâneo à expertise diversificada como um fator crítico.

As agências possuem uma gama de especialistas que podem lidar com diferentes aspectos do marketing e estão atualizadas com as últimas tendências e tecnologias do setor.

A flexibilidade para lidar com flutuações na carga de trabalho foi outra vantagem citada.

 

3. Desafios do Recrutamento

O recrutamento surgiu como um desafio significativo para a formação de uma equipe interna.

O processo é demorado e pode ser difícil encontrar indivíduos com as habilidades necessárias que também se encaixem na cultura da empresa.

 

4. Custos e Escalabilidade

O custo também é um fator decisivo importante.

Manter uma equipe interna envolve salários, benefícios e custos de treinamento, enquanto a contração da agência envolve somente o pagamento de honorários.

A escalabilidade durante os períodos de pico ou tempos magros também é uma consideração importante – as agências podem ser mais capazes de lidar com flutuações na carga de trabalho do que uma equipe interna.

 

5. Personalização

A personalização foi outro tema que apareceu.

Embora as agências possam oferecer conhecimentos especializados, elas podem não entender a marca tão profundamente quanto uma equipe interna, o que pode afetar a personalização dos esforços de marketing.

 

Ambas as opções têm suas vantagens e desafios.

A formação de uma equipe interna permite um controle mais direto sobre as estratégias de marketing, proporcionando uma compreensão mais profunda da marca e dos valores da empresa (Kumar et al., 2019).

Este caminho também oferece a possibilidade de construir uma forte comunidade unida por um objetivo comum (Lilien, 2016). No entanto, esse processo pode ser desafiador e demorado, envolvendo recrutamento, treinamento e gestão de salários e benefícios.

Enquanto a escalabilidade durante períodos de alta demanda ou tempos mais magros pode ser um desafio para as equipes internas (Chandler & Vargo, 2019).

Já uma agência permite acesso imediato a uma equipe diversificada de especialistas com ampla experiência (Homburg et al., 2020).

As agências estão bem equipadas para lidar com flutuações na carga de trabalho e estão atualizadas com as últimas tendências do setor. Por outro lado, pode resultar em menor controle sobre as campanhas e a atenção da agência pode ser dividida entre vários clientes. Talvez o mais preocupante de tudo seja a dificuldade que as agências tem para imergir na realidade da empresa (Morgan et al., 2020).

A escolha entre insourcinge outsourcing depende das necessidades específicas, recursos e objetivos de longo prazo da empresa.

Nossa análise sugere que as empresas devem considerar cuidadosamente esses fatores ao tomar essa decisão crítica.

 

CONSIDERAÇÕES

Independente da escolha realizada pela empresa, é fundamental que ela esteja comprometida com a existência de um trabalho sério, estruturado e de longo prazo no marketing. É inquestionável a necessidade do desenvolvimento tanto quanto de outros trabalhos fundamentais.

Seja para impulsionar vendas, fortalecer a imagem da marca ou estabelecer posicionamento digital consistente, o trabalho de marketing um componente essencial para o sucesso de qualquer empresa que vise crescer e se consolidar como referência no longo prazo.

 

REFERÊNCIAS

Braun, V., & Clarke, V. (2006). Using thematic analysis in psychology. Qualitative Research in Psychology, 3(2), 77-101.

Chandler, J. D., & Vargo, S. L. (2019). Service-dominant logic and the futures of marketing. Journal of the Academy of Marketing Science.

Creswell, J.W. (2003). Research Design: Qualitative, Quantitative, and Mixed Methods Approaches. Thousand Oaks: Sage Publications.

Davcik, N., & Sharma, P. (2015). Impact of product differentiation, marketing investments and brand equity on pricing strategies: A brand level investigation. European Journal of Marketing.

Homburg, C., Klarmann, M., & Staritz, S. (2020). Customer uncertainty following downsizing: the effects of extent of downsizing and open communication. Journal of Marketing.

Kumar, V., Dixit, A., Javalgi R.R.G., & Dass M. (2019). Research framework, strategies, and applications of intelligent agent technologies (IATs) in marketing. Journal of the Academy of Marketing Science.

Lilien,G.L.(2016). The B2B Knowledge Gap. International Journal of Research in Marketing.

Morgan, N., Katsikeas, C., & Vorhies, D. (2020). Organizational capabilities and business performance: a review of the literature and research directions. Journal of the Academy of Marketing Science.

 


Discover more from Integrare

Subscribe to get the latest posts to your email.


2 comments

[…] Experiência da Equipe […]

[…] Experiência da Equipe […]

Leave a Reply