Novidades sobre Social Media – A disputa entre o Twitter e Threads

Meta continua investimento no Instagram como uma plataforma de vídeo

Em um movimento para competir de frente com gigantes como YouTube e TikTok, a Meta (antigo Facebook) anunciou novas funcionalidades relacionadas a vídeos. O objetivo? Reforçar a plataforma como um espaço de destaque para conteúdo em vídeo.

A empresa revelou uma expansão de suas ferramentas de edição, anteriormente voltadas para Reels, agora também direcionadas a vídeos do feed principal. Os usuários, sejam eles da Meta Business Suite ou não, poderão criar vídeos curtos ou longos a partir de um só local.

As novidades incluem recursos como ajuste de velocidade, reversão e substituição de clipes, além de suporte para vídeos HDR tanto para upload quanto para reprodução no Reels.

Na batalha por mídias de áudio, a Meta busca simplificar o processo de encontrar a faixa de áudio ideal, reduzir ruídos e gravar sobreposição de voz sobre vídeos.

A já mencionada aba “Vídeo” promete ser uma central de conteúdo, abrangendo desde Reels até conteúdos de longa duração e vídeos ao vivo. Os usuários poderão navegar verticalmente entre os vídeos, com um carrossel horizontal para explorar diferentes Reels. Essa seção estará facilmente acessível, posicionada na barra superior do app Android e na inferior no iOS.

Recordando um pouco, a Meta introduziu o Facebook Watch em 2018 como resposta ao sucesso do YouTube. No entanto, essa plataforma passou por várias mudanças, inclusive encerrando funções como o Watch Party e descontinuando a divisão de programação original.

Um novo recurso interessante é a página de exploração de vídeos, que pode ser acessada através do botão de pesquisa. Ao clicar, os usuários encontrarão hashtags e tópicos associados a vídeos curtos e longos.

Houve ainda uma integração maior entre Instagram e Facebook. A Meta já permitia que criadores postassem Reels em ambas as plataformas e, agora, os usuários também poderão comentar nos Reels do Instagram visualizados pelo Facebook.

Nos últimos meses, a Meta tem buscado popularizar os Reels em ambas as plataformas.

Em março, o limite de duração dos Reels foi ampliado para 90 segundos. Em maio, embora tenham cessado os bônus para criadores, iniciaram testes de um programa de compartilhamento de receitas de anúncios baseado em desempenho.

Contudo, apesar dos esforços em aprimorar e consolidar seus produtos de vídeo, o Facebook ainda não anunciou novidades relacionadas à compensação de criadores de conteúdo.

Instagram Threads: Uma Nova Plataforma Destinada ao Fracasso

Em uma surpreendente onda de adesões, “Threads“, o rival do Instagram para o Twitter, conquistou mais de 100 milhões de usuários em menos de uma semana. No entanto, apesar da impressionante adesão inicial, analistas e observadores acreditam que a plataforma tem uma falha fatal: ela será entediante.

A visão da Meta, empresa-mãe do Instagram, para o Threads é “expandir o que o Instagram faz de melhor para o texto, criando um espaço positivo e criativo para expressar ideias”.

Mas isso levanta uma pergunta: o que o Instagram faz de melhor hoje?

Muitos argumentam que, com o aumento do TikTok e a subsequente cópia da funcionalidade com o Reels, o Instagram perdeu sua relevância inspiradora. Atualmente, seu principal atrativo parece ser permitir que criadores e celebridades monetizem por meio de conteúdo patrocinado, uma base não tão animadora para o Threads.

Apesar de sua semelhança visual com o Twitter, Threads quer ser mais “positivo” e amigável para os anunciantes.

Adam Mosseri, chefe do Instagram, esclareceu que, embora a política e as “hard news” aparecerão “inevitavelmente” no Threads, a empresa não fará “nada para incentivar esses verticais”.

Em resposta a esta concorrência, o Twitter começou a pagar aos criadores uma parte da receita de anúncios gerada nas respostas de suas postagens, buscando reter seus usuários mais influentes diante da ameaça de plataformas como o Instagram Threads.

A primeira rodada de pagamentos aos criadores totalizou US$ 5 milhões. Ainda assim, alguns criadores expressaram insatisfação com certos aspectos do programa.

O proprietário do Twitter, Elon Musk, interveio rapidamente para resolver algumas dessas preocupações. Ele aboliu uma política antiga que impedia criadores com perfis representando “animais ou personagens fictícios” de se qualificar para monetização, a menos que estivessem diretamente associados à marca ou organização da conta. Além disso, em resposta a um usuário que encontrou limitações na taxa de visualização de tweets, Musk anunciou um aumento de 50% no limite para usuários verificados.

Em uma nota adicional, Musk revelou que o Twitter logo começaria a compartilhar a receita de visualizações da página de perfil, o que deverá “duplicar aproximadamente os pagamentos”.

Esta movimentação do Twitter surge em um momento crítico, enfrentando a mais feroz competição de sua história.

O Threads do Instagram, com sua vasta base de criadores existentes, ameaça o domínio do Twitter, forçando a plataforma a reinventar suas estratégias de engajamento e monetização.

O que pode ser considerado uma oportunidade para o Twitter, e risco para a Meta. A “transposição” dos usuários do Instagram para a Threads facilitou o ingresso de milhões de usuários à nova plataforma, mas a pergunta que fica no ar é: esses usuários permanecerão?

Um usuário médio do Instagram tem as mesmas características do usuário médio do Twitter (tendo por hipótese o usuário do Twitter ser o mesmo da Threads)? Tudo indica que não, que são usuários com perfis diferentes, principalmente quando a análise é trazida para o Brasil.

Como consequência dessa hipóteses temos outras duas derivadas: a) o usuários tradicional do Instagram se adaptará a nova plataforma e seu estilo de uso? ou b. a Threads será só mais uma “modinha” temporária visto que estará “inchada” de usuários não adequados para suas funcionalidades?

 

Ivan Prizon é especialista em SEO, mestre em doutorando em economia do desenvolvimento e diretor e sócio-fundador da Integrare Marketing. Escreve sobre assuntos diversos envolvendo tecnologia e marketing digital nesse espaço todas as semanas.


Discover more from Integrare

Subscribe to get the latest posts to your email.


Leave a Reply