As Redes Sociais Tem um Poder Limitado Sob a Decisão De Compra, Afirma Estudo de Importante Revista Científica

O avanço das tecnologias da Web 2.0 e o crescimento exponencial das redes sociais reformularam a estrutura, os modelos e as operações de negócios, culminando no emergente fenômeno do comércio social. Este campo, embora ainda jovem, já se revela como um terreno fértil para investigações acadêmicas, especialmente no que tange ao impacto do uso das redes sociais na intenção de compra dos consumidores.

 

Um estudo publicado no periódico “Frontiers” se destaca por abordar esta temática em um ambiente de negócios globalizado e culturalmente diversificado, apresentando uma análise empírica que atravessa fronteiras nacionais e culturais.

Definições de Conceitos-Chave

  • Social Commerce:

Refere-se a um modelo de negócio que integra as redes sociais no processo de compra e venda, permitindo que os consumidores interajam ativamente, compartilhem informações comerciais e influenciem o comportamento de compra online de outros consumidores.

  • Cultural Intelligence:

A inteligência cultural é a habilidade de se relacionar e trabalhar eficazmente em um contexto culturalmente diverso. No contexto do estudo, ela medeia os efeitos do uso das redes sociais na intenção de compra dos usuários.

  • Cultural Distance:

Distância cultural se refere às diferenças entre as culturas que podem influenciar as interações e as percepções dos consumidores, especialmente em um ambiente globalizado de comércio social.

Análise do Estudo

O estudo em análise reconhece que o comércio social transcende fronteiras nacionais e culturais, mas também enfrenta desafios únicos devido à diversidade cultural. A pesquisa foi realizada com uma amostra significativa de 2.058 estudantes internacionais de 135 países, utilizando modelagem de equações estruturais baseada no MPLUS para analisar os dados.

Um dos insights mais reveladores do estudo é a constatação de que a intenção de compra em websites de comércio social não é automaticamente gerada pelo uso das redes sociais.

Ao contrário, a pesquisa aponta que a inteligência cultural dos usuários desempenha um papel significativo, atuando como um mediador entre o uso das redes sociais e a intenção de compra. A distância cultural foi encontrada para atenuar os efeitos do uso das redes sociais na inteligência cultural, sugerindo que as diferenças culturais podem ser um obstáculo na eficácia das redes sociais para aumentar a inteligência cultural dos consumidores.

A pesquisa adota a perspectiva da teoria da aprendizagem social, argumentando que o uso das redes sociais altera a avaliação cognitiva e afetiva dos consumidores antes de influenciar sua intenção de compra. Este processo de aprendizado contribui para o conhecimento e compreensão dos consumidores sobre culturas estrangeiras, alterando suas atitudes em relação aos produtos e aos websites de comércio social.

Considerações Finais e Implicações Futuras

Este estudo faz contribuições significativas para a literatura existente, especialmente ao examinar como as dimensões do uso das redes sociais afetam a intenção de compra dos consumidores em um ambiente de comércio social.

Ao explorar a complexidade dos valores culturais diferentes, a pesquisa fornece insights sobre como as diferenças culturais podem afetar a função das redes sociais na inteligência cultural dos consumidores, influenciando suas intenções de compra.

Para pesquisas futuras, seria interessante investigar mais a fundo como diferentes estratégias de mídia social podem ser adaptadas para superar as barreiras culturais e melhorar a inteligência cultural dos consumidores, aumentando assim a eficácia do comércio social em um cenário global.

Também poderia trazer valor ao explorar a relação entre a percepção da marca e as avaliações nas redes sociais, especialmente considerando o impacto das avaliações negativas na intenção de compra dos consumidores.


Discover more from Integrare

Subscribe to get the latest posts to your email.


Leave a Reply